Como ser um ilustrador freelancer – 10 dicas

Segue uma lista com dicas que considero importantes na introdução a carreira de um ilustrador freelancer. Funcionou para mim, acredito que possa ajudar a quem está perdido. As vezes não se trata de ter somente um bom portfólio, o importante é saber como mostrar esse portfólio e conseguir clientes.

10 dicas para se tornar um ilustrador freelancer

 Bom a pergunta: Como ser um ilustrador freelancer ? Vamos as 10 dicas:

 1- Acreditar em si

Antes do portfólio, antes do site ou qualquer outra coisa o ilustrador freelancer precisa confiar em si próprio. Acreditar que é sim possível viver de ilustração, como qualquer outra área é um longo caminho, os resultados não vem do dia para noite. Quem está começando vai errar e muito, isso faz parte do aprendizado.

Cada um tem seu tempo, alguns vão conseguir mais rápido outros vão levar mais tempo. Vão surgir momentos em que o ilustrador será tentando a desistir, a frustração de não obter o sucesso no tempo esperado é algo muito desgastante. Existe a pressão própria, da família, dos amigos, fique tranquilo que o resultado uma hora irá aparecer. Trabalhe todo dia, se não for possível reserve duas horas ou mais do seu tempo para se dedicar no seu sonho de ser um ilustrador freelancer.

Um dos fatores de sucesso é ter o apoio da família, com apoio você fica mais motivado e se sente seguro. É claro que nem sempre isso é possível, procure mostrar para pessoas a sua volta que você está se dedicando, eles vão ver seu empenho e passar a dar o apoio que você precisa.

Encare esse sonho de se tornar um ilustrador freelancer um projeto de um a três anos, você só irá conseguir se tentar, se arriscar, lembre que os momentos difíceis virão e que serão importantes para sua formação profissional.

Acredite em si, toda pessoa é única e pode se tornar um ilustrador único.

2-Montar o portfólio com foco

A carreira de um ilustrador freelancer é baseada em projetos diferenciados, capas de livros, infográficos, personagens ou seja nunca da para prever qual será o tema do próximo trabalho.

Com isso em mente é importante montar um portfólio com trabalhos diferenciados, um de cada tema está bom, o ideal seria dois modelos sobre cada tema. O cliente na maioria das vezes ao procurar um ilustrador freelancer procura no portfólio do ilustrador um trabalho que tenha algo próximo ao que ele precisa no momento.

Por exemplo o cliente precisa de uma ilustração foto realista de frutas, se você ilustrador freelancer tiver algo parecido em seu portfólio terá grandes chances de ser contatado pelo cliente e pegar o trabalho.

Abaixo segue uma lista do tipo de ilustração que recomendo o ilustrador freelancer ter em seu portfólio inicial:

Capa de livro (Recomendo ilustrar livros conhecidos)

Mapa

Infográfico

Personagens (Mascote)

Ilustração foto realista (Qualquer tema)

Ilustração de uma embalagem (Suco, leite, chocolate)

Storyboard

Logotipo

3- Um bom nome, uma boa url

Ter um nome criativo já o torna diferente na multidão de ilustradores que tem por ai, um bom nome tem que ser pequeno e fácil de lembrar, simples assim.

Recomendo pesquisar muito na hora de escolher o nome do seu domínio, se seu nome for Carlos por exemplo possivelmente já existe uma url www.carlosilustrador.com.br ou algo parecido.

Como aqui estamos falando de “ilustrador” e “freelancer” incluir uma dessas palavras chave no seu domínio pode trazer algum resultado na hora das buscas.

4- Ter um logotipo

Um logotipo é sua imagem, pense naquela marca que você tem carinho, é mesma coisa com um ilustrador freelancer. Se você prestou um ótimo trabalho o cliente irá lembrar de você. Neste caso será o logotipo que irá fortalecer sua imagem para com o cliente. Use ele em notas, no contrato, no rodapé do site.

Seu portfólio pode não ser o melhor mas sua imagem é. Um logotipo pode fazer a diferença, esse detalhe já mostra seu profissionalismo e o separa dos demais.

5- Um site feito sob medida para você

Uma das ferramentas mais importantes são os mecanismos de procura, é ali que aparecem os clientes. Muitos ilustradores freelancers em início de carreia optam por ferramentas gratuitas de hospedagem como o blogger, wordpress e o tumblr por exemplo.

O que eu posso dizer é que essas ferramentas tem um prazo de validade, para um ilustrador freelancer que está começando é ótimo, é de graça ! Porém o seu site um dia terá que crescer, não da para ficar com o mesmo layout básico por anos. Por que já não começar com algo feito só para você ?

Um detalhe ! Essas ferramentas são limitadas na sua forma gratuita, não é possível customizar as urls que são uma das fontes na hora da pesquisa. Por exemplo uma url www.ilustradorfreelancer.com.br tem muito mais chance de aparecer nas primeiras colocações na hora da busca do que por exemplo ilustradorfreelancer.blogspot.com.br.

Reflita, um site feito para você agrega mais valor ao seu portfólio, você deixa de ser mais um ilustrador freelancer com um tema básico do blogger e passar ser um ilustrador com um site exclusivo.

Fazer um site do zero para alguém que só ilustra pode ser algo assustador, porém fique tranquilo que um site simples eu digo simples você não precisará aprender programação. Se você realmente não tiver tempo para fazer seu site recomendo contratar um profissional especializado, lembre que o site é a porta de entrada para seu trabalho, veja como um investimento a longo prazo.

6-Invista em SEO

Sugiro pesquisar e estudar sobre SEO (search engine optimization), um site bem otimizado aparece nas primeiras posições, deve se ter em mente que o SEO leva algum tempo para aparecer resultado porém vale a pena o tempo investido ! Mais visitas no seu site = mais oportunidades de trabalho.

Abaixo segue os links com cursos e artigos, é um material gratuito e muito informativo:

Curso Open Seo Exemplo abaixo:

Seo Master – Curso de SEO, bem informativo.

Agência Mestre – Ótimos artigos, do básico ao avançado.

7- Trabalhe com um contrato

Foto contrato, ilustrador freelancer

Exemplo de um contrato

Ter um contrato é mostrar para o cliente que você é um ilustrador freelancer profissional. Não precisa ser um contrato super detalhado e com inúmeras cláusulas. Defina claramente suas condições, forma de pagamento, data de entrega e direitos autorais. Não trabalhar com um contrato é trabalhar as cegas, você tem muito a perder.

8-Ilustrador freelancer ! Participe da comunidade !

Existem vários grupos de ilustradores, seja no facebook, yahoo grupos ou em blogs. O importante é participar pela comunidade, escreva artigos, poste passo a passo de seus trabalhos compartilhe. Participando de uma comunidade você acaba divulgando seu nome. Seu estilo pode ser conhecido você pode fazer parcerias, ou seja você só tem a crescer.

9-Ter disciplina

Estamos falando de um ilustrador freelancer, ou seja aquele que trabalha em um home office. Quem trabalha em casa sabe como é difícil manter o foco, são muitas coisas para tirar a atenção. Família, TV, redes sociais e videogame. Quando se vê se passou horas e o ilustrador sequer começou o trabalho, isso é ruim pois geralmente os trabalhos possuem prazos, se atrasar é o nome do ilustrador que esta em jogo.

Ter disciplina é essencial, fuja das distrações você não precisa ter um horário fixo, o importante é entregar o trabalho no prazo. Calcule quantas horas você pode levar para concluir um trabalho e se dedique a ele.

10- Uma boa relação com o cliente

Tratar bem um cliente é ser profissional

Parece óbvio mas é fácil um ilustrador iniciante perder um pouco a cabeça com um cliente mais complicado. O ilustradores como artistas são mais sensíveis a críticas ao seu trabalho. O que posso dizer é para não levar para o lado pessoal, um trabalho é apenas um trabalho só isso. Se o cliente não aprovou procure ver o lado dele, o que ele precisa.

Por isso é importante um bom briefing, sabendo o que o cliente precisa dificilmente terá problemas durante a criação da ilustração.

É claro que casos especias irão acontecer, você ilustrador freelancer deve entender que existem pessoas difíceis de lidar, trate com educação não importa o que o cliente faça. Ser profissional é ser frio em alguns momentos e deixar de lado o conflito de egos. Lembre se que qualquer problema é o seu nome que está em jogo ! Então sempre que estiver nos momentos difíceis com um cliente nunca perca a cabeça, pare e respire fundo pois sempre existe uma solução.

Bom chegamos ao fim, talvez a mais valiosa dica que posso dar para quem deseja se tornar um ilustrador freelancer é não ter medo, arrisque, tente, os erros estão ai para nós fazer evoluir.  Se tiver dúvida entre em contato, participe da comunidade, a grande maioria dos ilustradores são pessoas abertas e estão ai para ajudar os iniciantes.

This entry was posted in Ilustrador freelancer and tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

52 Responses to Como ser um ilustrador freelancer – 10 dicas

  1. Nicoletti says:

    Parabéns, Beto.
    Você resumiu muito bem o B A Bá do Ilustrador freela. Minha história que o diga. Ilustro profissionalmente há mais de 40 anos, hoje sócio gerente da Nicoletti Criação e Arte, encontrei informações úteis no seu texto. Estamos sempre aprendendo.
    Mas, com suas dicas certamente contribuiu na orientação dos novos profissionais.
    Parabéns.
    Abração,
    Nicoletti

  2. Muito obrigado ! Boas ilustrações e muita criatividade.

  3. Daniel says:

    Olá, Beto! Muito prazer em conhecê-lo.

    Estou tentando sobreviver como ilustrador freelancer e confesso que já fiz de tudo.
    Estudei, criei um portfolio legal, enviei para diversas editoras, gráficas, revistas, agências e nada de surgir algo a um nível profissional.
    Tenho feito trabalhos para diversos clientes em sites internacionais de ”colaboração criativa”, infelizmente neste ramo, quem dita as regras são os contratantes, salvo algumas empresas e alguns profissionais.
    Inclusive neste exato momento eu estou pensando tenho pensado em desistir.
    Por um acaso eu encontrei o seu site e me deparei com este post, que com certeza é muito inspirador e trás palavras e situações muito reais.
    Muito obrigado pela dica, agora com certeza vou ter um pouco mais de perseverança e afinco em meus objetivos.

    Grande abraço, parabéns pelo trabalho e ajuda.

    Att. Daniel Domingos.

    • Olá Daniel !

      Seu portfólio é muito bom, não vejo como um estilo desses não desperte a atenção dos clientes. A solução que vejo é anunciar no ad words, não é barato mas trás resultados, pois seu site aparece na primeira página.

      Talvez se você focar na palavra chave “caricatura” o custo por clique seja mais em conta do que a palavra chave “ilustrador”. O ad words é uma ótima ferramenta para conseguir clientes, o suporte é muito bom e você pode começar com pouco e com um cliente você já paga o anúncio e sobra um pouco.

      Mas relevo que o ad words não é a solução final mas pode trazer pessoas para visitar o seu site e isso pode trazer um grande cliente ou editora.

      Tudo de bom !

  4. Julia says:

    Beto, muito interessante o post, estava precisando de algumas palavras inspiradoras. Obrigada!

    No momento, estou focando em me lançar no mercado editorial como ilustradora de livros infantis, mas realmente está sendo muito mais difícil do que eu esperava. Apesar de ser estudante de design, optei por correr atrás de algo que me desperte uma certa paixão, e queria ser contratada por uma editora mais do que qualquer coisa nessa vida (sim, quero muuuuito trabalhar na área, haha)

    Apesar de não receber apoio da minha família, que considera a carreira incerta, pratico todos os dias e acredito de coração ter o que é preciso para ser uma boa ilustradora, apesar de não ser extraordinariamente boa (ainda!).

    Você teria alguma dica para quem procura emprego na área de ilustração em editoras? Li algumas vezes que ficar mandando portfolio por e-mail não causa uma boa impressão, então não sei bem por onde começar.

    Obrigada de novo! :)

  5. Olá !

    Vi seu portfólio no deviantArt, gostei muito ! É um bom estilo para ilustrações infantis. Meu favorito é o “Faries”, bem delicado e emotivo, perfeito para área infantil.

    Sobre o portfólio, o ideal seria você ter um site seu, com todo seu trabalho e informações. Sei que alguns diretores de arte não gostam muito de portfólio no deviantArt. Eu acho bobagem, mas um site causa mais impacto. Fora que você tem mais chances de receber visitas de clientes em potencial com um site.

    Sobre ter apoio da família, é uma questão complexa. Os pais não tem muito conhecimento sobre a área . Ser um ilustrador é um emprego que foge do padrão. Muitos trabalham em casa, nem todo mundo vê isso com bons olhos e acabam julgando precipitadamente.
    O que digo é mostrar para eles o trabalho de outros ilustradores, como eles obtiveram sucesso em suas carreiras. Ajuda e muito.

    Mandar e-mail é uma boa opção, só que só uma vez. e um texto de apresentação feito para o lugar que se deseja trabalhar. Muitos mandam um texto no e-mail de qualquer jeito. Quem recebe da para ver que o ilustrador mandou de qualquer jeito. Tente conhecer a editora e falar um pouco do que você pode contribuir para eles.

    Seu trabalho é muito bom, confie que acho que agora é só questão de saber divulgar ele que logo vão aparecer trabalhos.

    Tudo de bom !

    • Julia says:

      Entendi… Realmente, pra ser sincera também não acho uma página no deviantart apropriada, estou inclusive fazendo um blog especificamente para ilustrações no momento.

      Enfim, vou continuar desenhando e me dedicando.

      Que bom que gostou do que viu, obrigada pelos conselhos e apoio, ajudaram bastante. 😀

  6. Cintia Leonardo says:

    Olá Beto,

    Adorei seu post. Eu também estou tentando entrar no mercado de ilustrações infantis, mas ainda não terminei um portifólio para esta área. Tenho uma dúvida: Teria algum problema de colocar vários tipos de ilustrações em um só portifólio, o certo não seria separar e direcionar? Por exemplo: se eu quero o mercado de livros infantis, eu não teria que deixar no meu portifólio só ilustrações deste tipo?
    Parabéns pelas dicas, me deixa cada dia mais incentivada. Abraços!

    • Olá !

      Sobre ter várias ilustrações em um portfólio.

      Bom na minha visão o portfólio deve mostrar tudo que você sabe fazer. Vamos supor que o diretor de arte está avaliando seu portfólio e só tem ilustrações cartoon. Ele pode gostar, e só. Agora vamos imaginar que ele precise de um outro tipo de ilustração.Se você tiver algo próximo o diretor de arte vai pensar. “Que interessante era isso que eu estava procurando”. Se você só tiver ilustrações de um tipo isso nunca vai acontecer.

      Assim se limitar a um estilo pode fechar a porta para outros trabalhos. É claro que você deve se focar no que sabe fazer de melhor, mas coloque outro estilo. Nunca se sabe o que a pessoa que está avaliando o seu portfólio precisa.

      Bons trabalhos !

  7. Vinicius Ribeiro says:

    E aí Beto blz!
    cara achei muito maneiro esse lance de instruir a galera que ta começando, eu já tinha uma grande atração pelo ramo e confesso que fiquei bastante motivado a ingressar na ilustração, pelo menos nas horas vagas já q trabalho como analista de sistemas tenho muitos momentos de tédio e estou tentado a preenche los criando ilustrações em breve farei contato para te apresentar meu estilo de desenho, ficaria feliz de receber suas opiniões e sugestões.

    Abraço.

    • Olá !

      Fico contente que tem interesse pela área de ilustração, realmente é uma área que desperta algo a mais.

      Trabalhar com cores é algo muito bom. A parte criativa permite pelo menos por um tempo entrar no mundo do autor e imaginar muitas possibilidades.

      Se você sente uma gratificação ao ilustrar isso pode ser sua futura profissão, ou também por que não continuar como um hobby.

      Fora que nessa área não existe um estilo pré definido, você pode seguir e desenvolver seu próprio estilo. É claro que por exemplo a ilustração foto realista existe menos liberdade.

      Recomendo postar seu trabalho em vários blogs e comunidades, fique totalmente aberto as críticas, isso é muito importante. Nessa área um ilustrador fechado não evolui, tanto seu estilo como em parcerias e contato.

      • Vinicius Ribeiro says:

        Ok postarei sim, e estou totalmente disposto a receber as críticas isso sempre me fez crescer, ate porque meu inicio na arte foi no graffiti então sempre tive meus desenhos expostos nos muros em seguida ingressei na tattoo(que ainda faço regularmente), mas minha afeição pela ilustração foi quando trabalhei com silkscreen e pude experimentar as técnicas no computador. Tenho uma dúvida e talvez você possa me ajudar, eu estive considerando a ideia de comprar um Pen tablet acha que e uma boa ferramenta ?

        • Sobre a o tablet recomendo pegar a versão mais básica da wacom. Simples assim. A tablet em essência trás apenas o benefício do caneta simulando um lápis e caneta, o que neste caso é muito mais natural do que desenhar com o mouse (a não ser que seja arte vetorial que o mouse se adapta bem até).

          As tablets com display ainda não são boas opções, ainda existe o lag e não é possível trabalhar em altas resoluções e principalmente ter uma fidelidade de cores. Existem no mercado opções mais avançadas como as cintqs da wacom e e o surface da microsof. São opções muito boas porém o preço praticado é inviável principalmente para quem está começando e não sabe muito bem se vai ser um ilustrador ou não. Infelizmente esses equipamento top de linha estão fora de cogitação. O preço pago por um desses é possível comprar muito materiais artísticos de qualidade (aquarelas e papéis importados por exemplo).

          Recomendo uma tablet pequena e um teclado mecânico com suporte a macros para agilizar nos atalhos do software.

          • Vinicius Ribeiro says:

            Blz era justamente oque eu estava pensando em fazer já tinha visto esse modelo com display mas achei desnecessário pra começar, a ideia realmente e usar um modelo simples só pra adiantar o processo de criação.
            Valeu pela dica.
            Abraço.

  8. Vinicius Ribeiro says:

    Beto,
    me surgiu uma nova dúvida.

    Como já havia falado antes, eu já trabalhei com outros tipos de arte então não tenho muita dificuldade quanto a composição ou interpretação na hora de produzir algum trabalho, a minha dúvida é a seguinte:

    Vi no portal do ilustrador uma serie de nomes de programas que nunca tinha ouvido falar já que o único programa que sei usar para desenho é o corel draw.
    Seria necessário explorar programas mais práticos ou mais apropriados para o ramo da ilustração ao invés de ficar estagnado no corel ?

    • Amigo, se vc for ulustrar um livro, estilo mão livre, usa o SAI, é muito bom e leve. Com a mesinha digital, claro, rsrsrs

    • Olá !

      Sobre os softwares:

      Se você já está acostumado com o Corel Draw e o trabalho flui bem é bom continuar nele. Talvez seria interessante você usar também um software de pintura digital. Os mais usados são o photoshop e o e corel painter. Com esses dois você faz tudo.

      Agora existem alternativas gratuitas como o My paint e o Krita. São bons programas. Bem fácil e rápido para aprender.

      Sobre ficar preso em um software isso não acontece muito com os softs de ilustração. No geral é o artista quem manda na ilustração 2D tradicional não muito tem para onde evoluir. A não ser que você queria usar o 3D dai sim é necessário sempre estar atualizado com os softwares em geral que a cada ano apresentam recursos que realmente fazem a diferença.

      Pode acontecer de um soft de pintura apresentar um novo conceito de criação de perspectiva. Dai pode agilizar o processo de ilustração. Mas nesse caso é mais para agilizar mesmo.

      A ilustração 2D básica de cada dia é bem básica mesmo rs. O soft é apenas uma ferramenta.

      • Vinicius Ribeiro says:

        Bom realmente estou bem confortável com o corel, já instalei também o photoshop embora ainda não esteja usando por falta de prática mas já estou me programando para começar a estudar as ferramentas.
        Valeu.

  9. Olá Beto, muito bacana suas dicas. De fato, mostrar o trabalho é um dos principais fatores pra se entrar nesse mercado. Ilustrei algum tempo para a Revista Luluzinha Teen, mas eu tive sorte em conseguir um espaço. Hj ilustro livros didáticos infantis, sempre que posso indico alguém porque sei como é difícil. A questão da disciplina, de entender que se vc trabalha pra um cliente, muitas vezes é necessário mudar de estilo, ou seja, tem que ser versátil. Acho que esses é um dos grandes problemas, ainda to na luta, por oportunidades melhores. Tenho que atualizar meu portifólio, rsrsrs. Grande abraço. Grandes dicas.

  10. César Domingues says:

    Gostei do post, mesmo não sendo ilustrador eu estudo muito a respeito de desenho e pintura digital. Gostaria de saber se pode indicar alguma dos citados grupos de ilustradores, porque eu realmente andei pesquisando e não achei nada diretamente relaciaonado. Blog sim tem vários e ótimos, quanto a grupos realmente não consegui localizar, seria possivel indicar alguns .

  11. Cicero says:

    Olá! Estava discutindo sobre isso com uma amiga ontem e ela me disse pra procurar no Google como é ser um ilustrador e como começar nessa carreira.

    Por uma série de fatores eu quero ingressar neste ramo e este site foi o melhor que encontrei pra explicar como.

    Não tenho portfólio ainda (Porque só me interessei pelo assunto ontem) mas vou fazer e montar um site em breve. Queria saber como acontece seu primeiro trabalho. Tipo, como você sabe o valor certo a cobrar? Como define prazos? Fico imaginando que o primeiro deve ser o mais difícil dos trabalhos a se conseguir e a se concretizar. Estou certo?

    Muito obrigado!

    • Olá ! Agradeço pelo elogio.

      Um portfólio leva tempo, claro que isso depende do ilustrador e sua rotina, o importante é produzir e produzir. No começo não se preocupe muito se está bom ou não, afinal não se pode exigir muito de quem ainda está começando. Com o tempo as ilustrações vão estar mais refinadas. Seja crítico ao seu trabalho. Por exemplo guarde algumas ilustrações e só depois de um tempo volte a ver. Com isso é mais fácil enxergar possíveis erros e o que se pode melhorar.

      O prazo depende unicamente do ilustrador, ao receber a proposta do cliente você vai saber aproximadamente quanto tempo vai levar para fazer aquela ilustração. Por isso é importante durante os estudos não levar um mês ou semanas para finalizar uma única imagem. Sobre os prazos com o tempo você vai saber o tempo certo. No começo sempre de um prazo maior para o cliente para você mesmo produzir com calma e sem tanta pressão de entregar “para ontem”.

      O primeiro trabalho pode aparecer de várias formas:

      1-Alguém acha seu site e entra em contato.

      2- Você faz um anuncio divulgando seu site. (É caro mas é a forma mais rápida de conseguir clientes).

      3- Você envia seu site/portfólio e é contactado.

      4- Você entra em uma comunidade do facebook em que autores ou pessoas precisam de uma ilustração e envia seu portfólio.

      5- Algum amigo seu o indica para alguém que precisa de uma ilustração.

      6- Você entra em um site de concorrência criativa e disputa com outros ilustradores para aprovação do cliente. (Não recomendo, mas se não tiver outra opção pode ser uma alternativa, talvez apenas para testar como você lida com as opiniões e críticas do cliente).

      7- Você faz uma ilustração para uma empresa que escolheu com o produto deles (exemplo chocolate, biscoitos e etc). Eles provavelmente já podem ter um ilustrador mas mesmo assim podem gostar da sua iniciativa e recomendar para outras empresas. Essa é uma boa forma pois mostra que você está interessado e tem capacidade e dedicação. As empresas dão valor a isso. É só escolher uma empresa e enviar a ilustração. Já vi vários ilustradores que conseguiram muitos trabalhos dessa forma.

      Sobre o primeiro trabalho ser o mais difícil isso talvez seja mais pelo fator psicológico de ter que agradar o cliente. Tente fazer tranquilo sem tanta pressão. Se for um trabalho muito complexo talvez você deva se focar em coisas menores e ir aos poucos pegando projetos maiores dentro do que se sente capaz.

  12. Olá Beto, trabalho com ilustração e design gráfico há mais ou menos uns 40 anos e com animação há 22. Eu só cheguei aqui porque consegui ficar empregado durante uns 18 anos em emissoras de TV. Trabalhei como autônomo de 1973 a 1992 e eu mal sobrevivia. De 1992 a 2011 eu trabalhei com emprego fixo e aí sim minha vida melhorou bem. Agora, desde 2011 estou novamente como freelancer e está ficando pior a cada dia. Eu percebo que, na verdade, eu é que nunca fui competente pra promover e vender meu trabalho. Muitos de nós não tem essas competências, não é?
    Eu sempre quis ser ilustrador, somente ilustrador, mas acabo fazendo outras coisas pra sobreviver porque não consigo entrar em editoras, como consegui entrar na televisão. Você é um profissional experiente, sem dúvida, então gostaria de saber sua opinião sobre meu trabalho. Meu site ainda não está terminado, mas acho que já dá pra ter uma ideia. Eu vou imprimir uns trabalhos também e colocar na pasta para visitar clientes.
    Grande abraço.

    • Olá ! Desculpe pela demora na resposta.

      Bom acredito que todos tem competência para promover o seu trabalho.

      Alguns pontos que acho interessante, nenhum deles é verdade absoluta, posso estar errado em algo.

      1- O site precisa ser simples, e fácil de navegar e com seus melhores trabalhos. Coisas pessoias como viagens, cotidiano, família são interessantes mas não tanto para os clientes. Assim recomendo o site com foco somente no portfólio. Falo isso para quem está começando.

      2- Talvez seu portfólio tenha apenas personagens ou cenários, procure um portfólio diversificado. Eu já perdi clientes por ter um portfólio com poucas opções. Meu site até hoje é assim, preciso atualizar.

      3- Talvez você tenha que promover seu site em algum lugar (google adwords), se seu site está na décima página do google vai receber poucas visitas.

      4-Use as comunidades do facebook para divulgar o seu trabalho, la também tem oportunidades, vagas.

      5-Uma área que está crescendo e já está grande é a área de concept de personagens/cenários para games. É trabalhoso sim, vale a pena tentar algo no seu portfólio.

      6-Se o seu inglês for bom por que não tentar um site em inglês, existem centenas de oportunidades la fora.

      7-Você pode tentar procurar autores (novos ou veteranos) e entrar em contato com eles, sei que é a editora que define a capa, mas nunca se sabe, podem gostar do seu trabalho.

      8- Poste seu trabalho em comunidades/fóruns. Alguns diretores de arte costumam visitar, fora que um usuário pode te recomendar.

      9-Faça caricaturas de famosos, isso pode não ser tão interessante assim, mas pessoas no facebook podem gostar e com isso você receber visitas e compartilhamentos. É uma forma de conseguir clientes.

  13. Valeu Beto, agradeço por suas opiniões e dicas. Mesmo tendo longa experiência, é sempre bom estar aberto para ouvir as opiniões de outros profissionais, não só sobre esse assunto mas sobre tudo que se relaciona com o nosso trabalho, afinal tudo muda muito rápido e temos que nos adaptar para sobreviver. Abraço.

  14. Paula says:

    Olá Beto!
    Essas suas dicas são uma beleza.
    Fiz faculdade de Educação Artística, e trabalhei por 8 anos em uma editora de livros didáticos no departamento de Arte, e foi meu primeiro e único emprego de verdade. A principio, fui contratada lá pela intenção que a diretora de Arte tinha em dar um toque mais artístico e artesanal as ilustrações, assim que algum projeto permitisse (lá é tercerizado, trabalhávamos pra FTD, Escala, Scipione, Saraiva, etc). Acabou que isso nunca aconteceu, e nos primeiros anos trabalhei apenas como ilustradora digital mesmo. Depois, houve uma reviravolta lá, e a s ilustrações passaram a ser feitas por externos, e eu e demais ilustradores, passamos a fazer o trabalho de edição e a logística de produção entre autores, financeiro, ilustradores/estúdio, outros, se aprofundaram na criação de projetos e se consolidaram no cargo de designers gráficos. Eu, sendo a única lá que não era designer de formação e, com nenhum interesse em aprender sobre tipologia e afins (realmente gosto de ilustrar, essa parte prefiro deixar pra quem gosta e faz bem), demorou mas, acabei sendo demitida recentemente. No fundo adorei, e já estava sonhando que isso ocorresse, pois desde pequena amo ilustrar, e lá eu não podia mais fazer isso. Porém, sou filha de desenhista, e há uns 15 anos, desde que ele saiu de seu último emprego, na Abril, sei como é difícil e incerta a vida de freela, mesmo pra ele que já tem um nome bom no mercado.
    Mas, quero tentar viver do que amo, e estou começando a trilhar agora esse caminho.
    E como em casa de ferreiro o espeto é de pau né, meu pai sempre me desincentivou viver disso (pois é! hahaha), e, é difícil aprender com o começo dele pois foi lá na década de 70, quando tudo era muito diferente. Ele nunca quis divulgar muito seu trabalho, e há mais de 10 anos trabalha pra editora que trabalhei, e de vez enquando pega uma ou outra coisa por indicação. Então, mesmo tendo um superdesenhista do lado, tá difícil saber o que fazer pra começar, e dar certo (chuif!)
    Li todas suas dicas** (mil obrigadas por elas!); por hora, não farei um site devido a questão financeira, e gostaria de começar mesmo com trabalhos menores, pra ir me testando. Tenho muita vontade de ilustrar livros infantis, ou mesmo outros que possam aparecer e precisem de ilustrações legais (adoro coisas relacionadas a História também!).
    Enfim, tô engatinhando, queria que desse uma olhadinha no meu portfólio e desse sua opinião, ou dicas, estou super aberta.
    Linkei aqui o behance (que criei anteontem, hehe), mas aqui no carbonmade tem também meus trabalhos de TCC da faculdade (aliás, acha que devo por no behance também? :P)
    Obrigada desde já!
    ** Suas dicas todas são mais para o mercado nacional?

    • Paula says:

      pauladiazzilustra.carbonmade.com

    • Olá ! Obrigado por compartilhar sua história. Quanto mais experiências mais nós ilustradores podemos aprender.

      Vou ver com calma seu portfólio (vi bem ŕapido, é realmente muito bom) E te respondo aqui mesmo em até dois dias.

      • Bem interessante sua história, pelo que contou nesta empresa você ficou um tempo parada fazendo outros serviços fora da área. Isso em muitos casos não é bom, pois o ilustrador precisa estar sempre afiado sempre ilustrando. Como você mesmo disse acredito que teve um beneficio em você ser demitida (nunca é fácil) mas nesse caso agora você pode fazer o que gosta e sabe fazer bem.

        Entendo o lado do seu pai, ele sabe como é complicado essa área e quer o melhor para você.

        Seu portfólio é muito bom, não tenho críticas. O que eu tiraria dali é o fan art. Não que seja ruim é que só valeria se fosse um trabalho feito para a empresa detentora dos personagens, ou a não ser que você queria trabalhar na empresa que tem esses personagens dai sim vale colocar.

        Foque no estilo que você já tem, na verdade seu portfólio está com um bom tamanho. O que precisa é ser vista. Sobre os trabalhos de TCC depende muito, se for algo que o cliente possa olhar e ver como algo que ele compraria vale sim colocar. Mas se for um trabalho mais alternativo e muito específico não sei se teria alguma vantagem. Mas coloque ! Na pior das hipótese o cliente/diretor de arte só vai olhar o que é de interesse para ele.

        O que eu faria agora já que não pode investir muito é separar umas 15 editoras e mandar para eles seu portfólio. Cada e-mail único mostrando que você conhece a editora e suas motivações para trabalhar com ela. E-mails padrões eles percebem fácil, fora que mostra que a pessoa não tem tanto interesse assim na empresa.

        Outra coisa que você pode fazer é algo que chamo de “criar oportunidade” você pega uma editora, estuda o que eles produzem e envia um trabalho. Já que gosta da parte de história poderia contactar algumas e enviar uma ilustração com um tema relacionado. Eles podem já ter ilustradores, mas vão colocar você em uma lista futura (isso claro se gostarem do seu estilo). Se der errado você ganha uma peça para seu portfólio.

        As dicas sim são todas para o mercado nacional e também para qualquer outro lugar. Em outro pais pode existir uma cultura um pouco diferente, porém as dicas são baseados em trazer segurança e um direcionamento para o ilustrador.

        Espero que tenha ajudado em algo, você já ajudou o artigo aqui contado sua história para outros ilustradores.

        Tudo de bom !

        • Paula says:

          Nossa, muito obrigada mesmo! Principalmente pela paciência em ler tudo, rsrs
          O fanart da Marceline eu fiz pra testar aquele tipo de colorização digital, acabamento – na falta de um tema, fiz uma personagem que gosto remodelada. Como é a única ilustra que tenho naquele estilo, resolvi por lá… será que é muito gaiato ter esse tipo de ilustra então? :/
          Vou seguir sim seus conselhos, vou pesquisar editoras (que ando bem por fora), e dar uma estudadinha no que tiver disponível sobre elas pra pensar nas propostas e produzir 😀

          • Olá !

            A sim entendi, da para deixar tranquilo. Até mesmo como você disse foi para testar a pintura digital. Se for analisar bem alguns clientes nem vão ter ideia que é fan art. O problema disso é que pode acontecer do cliente achar que a personagem é sua e querer algo bem naquele estilo.

            Espero que de tudo certo, se é realmente o que você quer continue que os resultados virão.

  15. Olá Beto, li o texto e todos os comentário e agradeço a você e todos os leitores pelas dicas, como a maioria aqui estou ainda inseguro do que me aguarda nesse caminho, adorei a ideia de pesquisar as editoras e enviar o portifólio para eles, vou pesquisar!
    Tenho a dúvida se é interessante divulgar os trabalhos em feiras, eventos, etc ou preferencialmente com editoras que são potenciais clientes, etc. Já tenho um portifólio no Behance e no DeviantArt.
    Meus trabalhos como verá diferem bem um do outro, já fiz oficina de grafite, aquarela, pintura, pintura e ilustração digital, lápis de cor, até mexo com modelagem em argila. Confesso que adoro ilustração, qualquer técnica e estilo, elas me encantam e fascinam demais, minha pergunta é se é obrigatório ter um estilo somente ou isso não importa, As vezes acho que estou perdendo tempo, acredito que ficaria infeliz se não pudesse pintar um aquarela, mexer no Illustrator ou botar as mãos na “massa” para produzir alguma coisa.

    Abraços!

    • Olá !

      Sim é excelente divulgar em férias e eventos de literatura, é lá que as parcerias são feitas. Bem lembrado dessa dica, tinha esquecido de colocar no artigo.

      O estilo na minha opinião é uma muleta, no começo pode ser bom, você consegue clientes mas com o tempo você fica preso ao dito “estilo” que é a cópia de si mesmo. O mercado quer ilustradores versáteis. Você está no caminho certo, sabendo várias técnicas você amplia sua capacidade criativa e também permite trabalhar em projetos diversos.

      Você mesmo pode fazer uma escultura, tirar uma foto e fazer colagem com ela no digital. Uma união dessas técnicas pode trazer muito ao seu trabalho. E não fique preso só ao manual, tente fotografia ou 3D se for do seu interesse.

      • Valeu pelo esclarecimento, ajudou a tirar bem essa minha dúvida cruel! Quanto ao 3D estou bem interessado depois de ter feito curso de modelagem no Maya, e apesar que dar um trabalho do caramba é prazeroso ir criando personagem, cenário, objetos.

        Abraços!

  16. Opá, ótimo post.
    Estou tentando começar a fazer freela, mas estou com dificuldade para achar algum job.
    Com a experiência que vocês tem, olhando o meu perfil de trabalho quais segmentos se adequariam melhor para mim?
    http://jeyfro.deviantart.com/

    • Olá !

      Deu para ver que seu portfólio tem foco na área de quadrinhos/concept art. Assim do ponto de vista do mercado a princípio seu portfólio só lhe da a opção trabalhar na área de quadrinhos. O problema é que a área mais “difícil” do mercado de ilustração. Você teria que ir em eventos de quadrinhos e expor seu trabalho. E também se tiver pretensão para trabalhar para Marvel, DC ou outra editora você vai precisar de um agente para divulgar seu trabalho.

      Acho que você deve seguir essa linha, porém se a intenção e conseguir trabalho “o quanto antes” eu mudaria um pouco o foco para trabalhos mais comerciais dentro da realidade do “cliente geral” por assim dizer. (capas de livros, ilustração infantil e etc).

      Trabalhar com quadrinhos é possível mas tem que ter em mente que é algo que exige muito, leva tempo.

  17. leonardo says:

    Sempre que pesquiso como ingressar no mercado, conseguir clientes e etc. sempre vejo gente falando coisas ruins, ou como o quanto é difícil a vida de ilustrador, a desvalorização e etc…

    A verdade é que esse negócio de mercado e clientes é um saco. É risco, é tempo q tem cliente, tempo que não tem cliente.

    Tudo que eu queria era desenhar e produzir coisas com animações e games… mas tem q ter um emprego qualquer pra se manter, que consome 2 terços do dia, e aí chego em casa, cansado, n sobra mais força pra desenhar nem produzir nada.

    Tem gente q ta muito bem nessa carreira sim, pq tem a caracteristica natural de atrair as boas oportunidades, lugares certos nas horas certas.

    • Olá !

      Entendo muito bem sua visão, o mercado muitas vezes é “injusto” para o ilustrador freelancer. Ser freelancer exige divulgar muito seu trabalho e estar sempre com algum trabalho em destaque para ser visto. Sobre as oportunidades algumas pessoas tem chances em conhecer bons contatos, agora se o trabalho deste ilustrador for apenas OK ele irá logo ser substituído por outro que tem maior técnica/ inspiração e motivação.

      Vou citar meu exemplo:

      Hoje estou em um processo de migração do 2D para computação gráfica, percebi com o tempo que tenho mais habilidades com CG e existem pontos realmente fracos no meu trabalho 2D. Isso se deve ao fato de eu não desenhar tanto quanto antigamente (considero meu trabalho fraco e apenas OK) e também desenvolver uma motivação para estudar computação gráfica. (modelagem, render e etc). Em dezembro do ano passado (2014) tive meu primeiro trabalho em 3d, um carrinho de frutas, aprendi muito com ele. Infelizmente o cliente não me pagou, mais por culpa minha em estar empolgado demais e não ver que era um trabalho de risco. Hoje este carrinho está no meu portfólio o que vejo como algo bom.

      Analisando o mercado, a definição de cliente “bom” pode ser relativa, agora pela minha experiência digo que um cliente bom é uma grande empresa que possui recursos e que sabe o que procura. Já tive alguns clientes que não tem ideia do que desejam e muitas vezes não é nem uma ilustração o que eles precisam de fato. Por isso que o meio para conseguir clientes é estar com trabalhos em evidência, seja em fóruns ou no facebook. Hoje está mais complicado pois temos muitos ilustradores com trabalhos normais por assim dizer e poucos com algo marcante (também me incluo no grupo “comum”). O que vai chamar atenção hoje e desperta o brilho no olhar é algo bem diferente de um material de 5 anos atrás.

      Outro ponto a se analisar é esse desrespeito por parte dos clientes, considero desrespeito por exemplo dar prazos apertados e também solicitar valores muito baixos (isso acontece muito, e desmotiva).

      Se formos ver de forma mais profunda o mercado mesmo está desvalorizado, pois existem sites com colaboração criativa em que vários ilustradores participam de um mesmo projeto e somente um irá receber no final. Injusto. Fora que hoje existem recursos que imitam uma ilustração como filtros e plugins o que da a impressão para alguns que o trabalho do ilustrador pode ser subsistido por um filtro de aquarela.

      No momento acredito que uma das formas é o ilustrador se propor a se superar e fugir do lugar comum (ilustrações com temas batidos, estilo limitado e básico) irá conseguir clientes bons e raramente irá ficar parado.

      “Os grandes de hoje um dia foram pequenos”.

      • licinio says:

        Beto, parabens pelas reflexoes.

        To debatendo elas aki com o amigo Leo, rs, gostaria d fazer meu aparte na questao “desrespeito dos clientes”

        Considere:
        1- o cliente nao conhece nosso oficio
        2- se conhece, vc pode cobrar urgencia
        3- vc nao é obrigado a aceitar rs
        4- pode ainda remover algo da tarefa

        creio q isto, ja resolve este problema. É q em toda dificuldade, eu vejo oportunidade, responsabilidade pessoal e lições para aprender. Qdo eu trabalhei c vendas, durante 2 anos, me tornei um negociador mto melhor.

        Parabens pelo trabalho, tando d producao artistica qto d educar, sucesso pra vc! 😀 Força ae

    • licinio says:

      itens, 2, 9, 10 sao os essenciais, para quem quer se manter ativo e produzindo, sobretudo iniciantes.

      A pessoa tem q a aprender a ser adulto e deixar o padrao de vitimização infantil, culpando terceiros, numa perigosa transferencia d responsabilidades.

      Cada pessoa pode estudar e se fazer. Estamos na Era da Informação. Quem quiser, pode estudar quase qq coisa na net, ainda mais Arte.

      “Fracassos” sao d total e propria responsabilidade. A vida é assim.

  18. sempre que pesquiso vejo gente reclamando sobre o quão dificil e lascada é ser(tentar) ilustrador.

    a verdade é que mercado e clientes são um saco. Eu só queria msm é desenhar, e produzir minhas artes…. só.

  19. leonardo says:

    Obrigado pela resposta beto. vc é mto gente boa.

    Concordo com mto do que diz aí, e acrescento:

    Esta profissão é basicamente um processo seletivo

    pra alguns é a corrida dos ratos.
    para outros é apenas consequência da paixão por desenhar/ilustrar.
    para outros, resultado de um esforçado estudo/aprendizado/experiência.

  20. Guilherme says:

    Olá Beto gostaria de agradecer pelo artigo,é realmente um mini manual para quem esta começando.Parabens.

    Estou pesquisando em varios lugares em como proceder para iniciar,pois nao que me queimar logo de cara. Tem uma duvida sobre essa parte de relacionamento com o cliente.Queria saber como funciona para você.

    Você falou sobre contrato etc.Em caso de pedirem um prazo mais curto depois de assinarem o contrato.Ou serviços extras.É necessário enviar um novo contrato?Ou proposta?

    Se sim,só se deve continuar o trabalho depois assinado esse novo documento?

    Nesses casos como ocorre o envio desses documentos, caso o cliente resida em outra cidade. Sedex?Mas enquanto isso trabalho fica parado? Ou podemos ter alguma forma de garantir segurança enquanto o sedex não chega.

    grande abraço

    • Olá ! Desculpe pela demora na resposta, fiquei sem internet por um tempo.

      No contrato mesmo você pode colocar que por exemplo caso o cliente solicite ilustrações novas será definido um valor para essas novas ilustrações.

      No meu caso eu envio para o cliente o contrato, ele analisa e vê se concorda. O cliente assina e me envia uma cópia digitalizada eu imprimo assino e mando para ele a cópia digitalizada.

      Basicamente é isso, se o cliente for da mesma cidade que você podem se encontrar e assinar o contrato.

      • Guilherme says:

        Nossa muito pratica mesmo.Desculpa pentelhar,mas uma ultima duvida.

        Como você recomenda divulgar portfólio paras editoras.Tenho pesquisado vários nomes de editora e enviado uma breve apresentação com o link de portfólio para o email geral delas ou para o “trabalhe conosco”. Seria algo assim,ou você tem alguma recomendação para esses casos?

        grande abraço

        • Olá !

          Acredito que nessa parte de editoras é ter um portfólio em comum com o que a editora trabalha.

          Por exemplo editora de livros infantis = portfólio com o esse tema, ou algo próximo.

          Sei que parece banal mas muita gente envia um portfólio para editoras em que não tem nada em comum.

          Uma boa prática é comentar sobre a editora que você conhece algumas das obras deles. Acho um diferencial.

  21. Marília says:

    Oi, Beto!
    Nossa, muito obrigada por compartilhar informações tão valiosas!!
    😀

  22. Otto Arthur Santos Morgado says:

    Olá,Beto ilustrador!!Gostei muito do seu artigo,suas dicas são DEZ!! Gostaria,como a maioria que te escreveu,de trabalhar freelancer e ganhar dinheiro com isso!!! No Brasil de hoje,com desemprego e recessão,alta do dólar,dívidas pessoais,a coisa toda complica!!! Participo de inúmeros grupos de desenhistas no Facebook,pretendo criar um blog de dicas de desenho passo a passo,o que você acha?? Confesso que ainda trabalho com lápis e papel,na prancheta,mas acho que se estiver bem motivado,já posso começar alguma coisa!! Obrigado pelas dicas,que vou ler e reler sempre que precisar de motivação!!! Otto Arthur

    • Olá !

      Blogs, twitter ou páginas do facebook são ótimas para divulgar o trabalho, o passo a passo é muito bom pois cativa tanto os ilustradores quanto o cliente que passa a dar valor a seu trabalho quando vê como foi feito.

      Trabalhar com lápis e papel é outro ponto positivo, recomendo desenvolver seu trabalho em técnicas tradicionais. O tradicional é muito bem visto por editoras ou clientes que necessitam de um trabalho mais natural sem os excessos de “brushes” da pintura digital e vetorial que na sua grande maioria é padronizada. Eu mesmo estou em processo de migrar para o tradicional, claro que isso leva tempo. Mas esteja afiado no tradicional que seu trabalho será valorizado para aqueles que reconhecem o valor do processo artístico que vai além do software

Deixe uma resposta para Cintia Leonardo Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *